LISBOA HOMENAGEOU CIDADE VELHA E ARMÉNIO VIEIRA

27 Abril 2009 – Foi uma festa a um tempo enternecedora e comovente. Com o Cinema S. Jorge, em Lisboa, completamente cheio, a Câmara lisboeta e a UCCLA (União das Cidades Capitais da Lusofonia) prestaram homenagem à Cidade Velha, Património da Humaniade, e com essa homenagem honraram também Cabo Verde e o povo das ilhas. Foi o abraço fraterno publicamente expresso, com a UCCLA e Lisboa a dizerem que Cidade Velha e Cabo Verde podem contar hoje, como contaram ontem, com a amizade de Portugal e dos portugueses.
Entre as muitas presenças contavam-se bons amigos da Cidade Velha: o Presidente da Câmara de Coimbra, Carlos Encarnação, que se juntou aos autarcas lisboetas; o embaixador do Brasil junto da CPLP, Lauro Moreira; o antigo embaixador de Portugal em Cabo Verde, Eujénio Anacoreta Correia; José Ribeiro e Castro, ex-eurodeputado e amigo confirmado de Cabo Verde; a direcção da ONG ETNIA; figuras da intelectualidade cabo-verdiana e portuguesa, designadamente Arménio Vieira (Prémio Camões), José Luiz Tavares, José Luis Hopffer Almada, Mito Elias, Nuno Júdice. Etc.

Continuar a ler

Anúncios

FESTA DO SANTO NOME DE JESUS 2009: Prémios e Concursos

A edição de 2009 da Festa do Santo Nome de Jesus fica assinalada pelo anúncio público de algumas iniciativas inéditas de valorização histórica, cultural e turística local, de grande significado e potencial para o futuro da Cidade Velha.

PRÉMIO ANTÓNIO DA NOLI

A Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago institui o Prémio anual António da Noli, com o qual distingue o jornalista que, nos diferentes meios de Comunicação (imprensa, rádio, televisão ou informação digital), tenha publicado nesse ano a melhor peça jornalística sobre a Cidade Velha e/ou o Município onde a antiga capital de Cabo Verde se insere. Com este prémio, a CMRGS homenageia aquele que se supõe ter sido o navegador que, ao serviço do Infante D. Henrique, primeiro terá achado as ilhas de Cabo Verde (em 1460), em concreto a ilha de Santiago e o local que ficou conhecido como Ribeira Grande. Nascido em Noli, Itália, também designado em Génova como Antonotto Usodimare, foi o primeiro capitão donatário de Cabo Verde, por carta de doação datada de 19 de Setembro de 1462, usufruindo dessa mercê até 1496. Da Noli veio a falecer no ano seguinte, 1497, supostamente no que é hoje a Cidade Velha.

Para este Prémio António Da Noli, que se institui agora, adopta-se o seguinte Regulamento:

REGULAMENTO DO PRÉMIO ANTONIO DA NOLI:

O Prémio António Da Noli é atribuído ao jornalista que, em cada ano, seja autor reconhecido da peça jornalística, editada na imprensa, rádio, televisão ou informação digital cabo-verdiana (do País ou da Diáspora) que o júri do Prémio entenda ter sido o melhor trabalho produzido sobre a Cidade Velha ou sobre o Município da Ribeira Grande de Santiago.

CANDIDATURAS

  1. Os trabalhos concorrentes ao Prémio António Da Noli devem dar entrada na Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago até ao dia 10 de Julho
  1. 1. Os trabalhos devem ser apresentados em quatro cópias e com envelope anexo onde se referem: o nome do autor, morada, contacto telefónico e/ou endereço electrónico, data da sua edição e o nome do órgão de Comunicação onde foi inserido
  1. 2. O nome do vencedor do Prémio António Da Noli é publicamente anunciado a 23 de Julho, Dia do Município da Ribeira Grande de Santiago
  2. A entrega do prémio é feita em acto solene, em data a designar aquando do seu anúncio.
  3. Os trabalhos não premiados ficam em arquivo da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, passando a integrar o espólio documental do Município.

VALOR DO PRÉMIO ANTONIO DA NOLI

  1. O valor do Prémio António Da Noli é de 50 mil escudos.
  2. O vencedor do Prémio António Da Noli, tal como o órgão de Comunicação onde o trabalho distinguido foi editado, recebe um diploma confirmador da distinção.
  3. O vencedor do Prémio António Da Noli é único. Não haverá atribuição de prémios ex-aequo.
  4. O júri é soberano, não havendo recurso para a sua decisão.
  5. O júri pode decidir, se for esse o seu entendimento, a não atribuição do Prémio António Da Noli por falta de qualidade dos trabalhos candidatos apresentados esse ano.
  6. A Câmara da Ribeira Grande de Santiago reserva-se o direito de republicar na sua revista o trabalho premiado, sem qualquer retribuição adicional.

JURI DO PRÉMIO ANTONIO DA NOLI

  1. O júri será composto por três elementos: o primeiro em representação da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago; o segundo em representação da AJOC, Associação dos Jornalistas Cabo-verdianos, que para o efeito será convidada; o terceiro, uma personalidade independente, conhecedora do processo jornalístico, a designar por acordo entre os dois primeiros.
  2. A presidência do júri cabe ao representante da Câmara Municipal da Ribeira Grande que, todavia, não terá direito a voto, excepto quando não haja acordo entre os dois outros elementos do júri sobre a atribuição do Prémio. Nessa circunstância, será ele o decisor entre as duas opções em presença.
  3. É permitida a cada elemento do júri a declaração de voto, justificativa da sua opção.
  4. A acta do Prémio António Da Noli, integrando as declarações de voto do júri, é tornada pública.

1. Dando cumprimento ao publicamente anunciado no Dia do Município da Ribeira Grande de Santiago (23 de Julho), aquando da divulgação do vencedor do I Prémio de Jornalismo António da Noli, a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago divulga integralmente a acta do júri deste Prémio – divulgação que garante total transparência a este concurso, no qual o trabalho jornalístico foi apreciado apenas por jornalistas, que puderam usar livremente dos seus critérios.

2. A entrega do Prémio António da Noli (bem como do Prémio Fénix) será feita em Novembro, em acto público, em data a determinar. Nessa altura será anunciada a abertura do II Prémio de Jornalismo António da Noli.

3. A Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago agradece aos elementos do júri, à AJOC e aos jornalistas cabo-verdianos o interesse que manifestaram por este Prémio.

4. A colaboração entre a AJOC e a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago é para ter continuidade.

CMRGS, 27 Julho 2009


PRÉMIO FÉNIX

Fénix foi a mitológica ave que, depois de morta, era queimada na pira sagrada e assim ressuscitava das cinzas, sempre belíssima nas suas cores e no seu canto. Tal como era a Fénix dos antigos romanos, assim é Cidade Velha: a Fénix pode justificadamente ser um símbolo a adoptar pela Ribeira Grande de Santiago para a sua cidade.

Com o Prémio Fénix, a anunciar nas Festas do Santo Nome de Jesus e a ser entregue em acto público no Dia do Município da Ribeira Grande de Santiago (23 de Julho), a Câmara Municipal distingue um órgão de Comunicação (imprensa, rádio, televisão ou informação digital), cabo-verdiano ou estrangeiro, que ao longo de cada ano se tenha destacado pela atenção dada a Cidade Velha, à sua promoção, à sua história e aos seus problemas.

Trata-se de um prémio não sujeito a concurso, portanto sem regulamento específico e sem recorrência a júri: é a Câmara que, por si mesma, por vontade própria, o atribui em decisão tomada em reunião do seu Executivo. O nome do órgão distinguido é anunciado publicamente no dia 20 de Julho de cada ano.

Sendo distinção de mérito, o Prémio Fénix não terá tradução pecuniária: trata-se de um prémio simbólico, conferido por diploma e troféu. Traz honra e projecção a quem o recebe, com as eventuais vantagens a tal inerentes. E é um incentivo aos meios de Comunicação para relevarem a Cidade Velha nas suas agendas.

A par do Prémio Da Noli (para jornalistas), o Prémio Fénix integra um conjunto de distinções que venham a ser decididas no futuro, com as quais a Ribeira Grande de Santiago anualmente contemplará as Artes, o Ensino, a Investigação Histórica, o Associativismo e o Desporto.

CONCURSO DE IDEIAS

A velha Ribeira Grande, na ilha de Santiago, berço da nacionalidade e primeira capital do arquipélago, foi obra colectiva. Primeiros colonos e primeiros escravos lavraram a terra, cataram o sangue do dragão, plantaram a cana, construíram casas e templos, produziram o açúcar (que, ao tempo, valia ouro), disseminaram gado. Foi com o esforço de todos, com a colaboração de todos que floresceu, neste recanto do mundo, uma cidade que os testemunhos referem ter sido bela e rica. Na ilha, onde antes não havia habitantes, foi o esforço colectivo que tornou possível que esta cidade vingasse.

Fundamentando-se nesta herança histórica, a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago retoma o pioneirismo dos antepassados e incentiva cada um ao seu contributo para o esforço colectivo de restaurar o esplendor antigo que as vicissitudes da História quase apagaram e promove um CONCURSO DE IDEIAS em torno de quatro temas:

  • Brasão e Bandeira da Ribeira Grande de Santiago;
  • Museu e Biblioteca Municipal;
  • Parque de Diversões para crianças na Mata do Convento;
  • Evocações e Estatuária para a Cidade Velha.

Para este concurso foi estabelecido o seguinte regulamento:

  • Pode candidatar-se a este concurso qualquer cidadão, cabo-verdiano ou estrangeiro, que queira submeter a apreciação os seus projectos.
  • Cada concorrente pode apresentar mais do que uma proposta para cada um dos temas em concurso, desde que cada uma delas esteja devidamente identificada em separado com um pseudónimo próprio e diferenciado.
  • As propostas apresentadas devem ter em atenção os condicionalismos impostos pela necessidade de preservar o Património Monumental e o Ambiente.
  • Cada proposta deve incluir maqueta e memória descritiva, sendo assinada com pseudónimo, e referência ao tema que versa.
  • Em envelope à parte, fechado e lacrado, tendo no exterior apenas a indicação do pseudónimo concorrente, deve ser colocada uma ficha com as seguintes indicações: nome verdadeiro e/ou nome por que o autor é conhecido, idade, morada, telefone, endereço electrónico, profissão.
  • Só depois de apreciadas as propostas pelo júri, podem ser abertos os envelopes e apenas os respeitantes aos trabalhos distinguidos. Far-se-á então a identificação das propostas premiadas. Os demais envelopes não serão abertos.
  • As propostas candidatas devem ser entregues na Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago até dia 1 de Julho de 2009.
  • O anúncio das propostas vencedoras será feito no dia 23 de Julho, Dia do Município da Ribeira Grande de Santiago.
  • As propostas serão apreciadas e julgadas por um júri de três elementos, sendo um em representação da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago; o segundo, um arquitecto credenciado, a convidar; e o terceiro, um especialista em questões de Património. Os nomes dos indigitados para o júri serão divulgados no dia 1 de Julho de 2009.
  • Nenhum membro do júri pode ser autor (ou familiar de autor) de propostas levadas a concurso.
  • Caso o júri entenda que nenhuma proposta tem qualidade para ser aprovada, não haverá vencedor no tema em questão.
  • Não haverá classificações ex-aequo. Apenas são anunciados os trabalhos distinguidos.
  • Os valores dos prémios atribuídos serão fixados pela Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago até ao dia 1 de Junho de 2009.
  • A Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago reserva-se o direito de adoptar (ou não) os trabalhos distinguidos como ponto de partida para projectos que venham a ser programados e executados, depois de acordo estabelecido com o seu autor.

Comissão Organizadora da Festa do Santo Nome de Jesus, Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago

ADIADA PARA 30 DE NOVEMBRO DATA DE ENTREGA DE PROPOSTAS PARA CONCURSO DE IDEIAS DA RIBEIRA GRANDE DE SANTIAGO

Foi protelada para 30 de Novembro próximo a data limite de entrega de propostas candidatas ao Concurso de Ideias lançado em Janeiro pela Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago. A importância dos temas abarcados por este concurso justifica que se dê plena oportunidade para que surjam boas propostas para:

1. brasão e bandeira da Ribeira Grande de Santiago;
2. um futuro Museu e uma futura Biblioteca Municipal;
3. um Parque de Diversões para crianças na Mata do Convento;
4. evocações e estatuária na Cidade Velha.

Na altura da apresentação deste concurso de idéias fez-se notar que “A velha Ribeira Grande, na ilha de Santiago, berço da nacionalidade e primeira capital do arquipélago, foi obra colectiva. Primeiros colonos e primeiros escravos lavraram a terra, cataram o sangue do dragão, plantaram a cana, construíram casas e templos, produziram o açúcar (que, ao tempo, valia ouro), disseminaram gado. Foi com o esforço de todos, com a colaboração de todos que floresceu, neste recanto do mundo, uma cidade que os testemunhos referem ter sido bela e rica. Na ilha, onde antes não havia habitantes, foi o esforço colectivo que tornou possível que esta cidade vingasse.

Nos dias de hoje, a Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago retoma o pioneirismo dos antepassados e incentiva cada um ao seu contributo para o esforço colectivo de restaurar o esplendor antigo que as vicissitudes da História quase apagaram”.

Continuar a ler

UCCLA E CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA HOMENAGEIAM CIDADE VELHA E ARMÉNIO VIEIRA

A convite da UCCLA (União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa) e da Câmara Municipal de Lisboa, Manuel Monteiro de Pina, Presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, desloca-se a Portugal na próxima sexta-feira. A comitiva de Manuel de Pina integra o escritor Arménio Vieira, Prémio Camões.

Esta deslocação tem em vista participar nos actos de homenagem à Cidade Velha Património da Humanidade e ao Prémio Camões com os quais tanto a UCCLA como a Câmara Municipal de Lisboa decidiram sublinhar dois momentos importantes para a Cultura cabo-verdiana e, por extensão, a Cultura lusófona.

Continuar a ler

EMBAIXADOR LAURO MOREIRA É CIDADÃO HONORÁRIO DA CIDADE VELHA

Lauro Moreira, Embaixador do Brasil junto da CPLP, recebeu na passada quarta-feira, dia 15, o título de Cidadão Honorário da Cidade Velha, em cerimónia testemunhada por escritores e outras personalidades da Cultura cabo-verdiana, entre outras Mário Fonseca, Fátima Bettencourt, Vera Duarte, Júlio Silvão, Jorge Carlos Fonseca, Carlos Carvalho, Daniel Medina, Helena Lisboa, Marilene Pereira.

Este foi um dos actos que marcou a visita de Lauro Moreira à Cidade Velha, onde, além de se encontrar com personalidades da nossa Cultura com as quais de há muito mantém relações de amizade, se reuniu com o Executivo camarário e culminou com um notável sarau de poesia (“Vozes Poéticas Lusófonas”), realizado no Tereru di Kultura, no qual o Embaixador, ele próprio, disse poemas de uma vasta gama de autores da Lusofonia. Assistiram ao sarau, precedido pela exibição das Batucadeiras de Porto Gouveia, para além do Presidente da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, Manuel Monteiro de Pina, e do Presidente do Instituto de Investigação e do Património Cultural, Carlos Carvalho, a Embaixadora do Brasil em Cabo Verde e a Cônsul de Portugal, Raquel Chantre.

O Embaixador Lauro Moreira foi recebido na Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, onde assinou o respectivo Livro de Honra e analisou com o Presidente da Autarquia, Manuel Monteiro de Pina, as possibilidades de uma profícua cooperação futura, que em muito pode contribuir para a Agenda Cultural da Cidade Velha.

A Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago ofereceu ao Embaixador Lauro Moreira um almoço no Lugar do Poiso (junto ao Convento de S. Francisco), no qual estiveram presentes o Ministro da Cultura, Manuel Veiga, a Presidente do Instituto Internacional da Língua Portuguesa, Amélia Mingas, Marilene Pereira, Directora do Centro Cultural Brasileiro (em representação da Embaixadora do Brasil em Cabo Verde) e o Presidente da Assembleia Municipal da Ribeira Grande de Santiago, José António Semedo.

A visita do Embaixador Lauro Moreira à Cidade Velha assinalou a entrada deste sítio histórico Património da Humanidade no Circuito Cultural Lusófono, uma iniciativa cultural da ONG Etnia que passa por Portugal, Brasil e outros países da CPLP.

Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, 17 de Julho de 2009

EMBAIXADOR LAURO MOREIRA VISITA CIDADE VELHA

Figura destacada da Cultura e da Diplomacia Brasileiras, Lauro Moreira, Embaixador do Brasil junto da CPLP, visita a Cidade Velha (Património da Humanidade) no próximo dia 15, quarta-feira. A presença de Lauro Moreira neste sítio histórico, a convite da Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, é um dos momentos mais altos vividos pela Cidade Velha depois que, em 26 de Junho, foi considerada pela UNESCO como Património da Humanidade e honra este Município.

Em estreita cooperação com o Centro Cultural Brasileiro e com o Circuito Cultural Lusófono/ONG Etnia, a visita de Lauro Moreira terá um programa cultural intenso, a ser anunciado em breve, no qual se incluem um encontro do Embaixador com significantes personalidades da Cultura cabo-verdiana e um dos internacionalmente famosos saraus, sob o signo das “Vozes Poéticas da Lusofonia”, apresentadas por Lauro Moreira.

Com a ilustre visita, Cidade Velha, Berço da Nação Cabo-verdiana e Património da Humanidade, afirma-se como um dos principais pólos culturais de Cabo Verde.

Câmara Municipal da Ribeira Grande de Santiago, 10 de Julho de 2009

Continuar a ler

CIDADE VELHA É PATRIMÓNIO MUNDIAL: “ESPÍRITO DE SEVILHA” É VALOR A PRESERVAR

unesco_patrimoine_mondialCidade Velha é, a partir de hoje, oficialmente, Património da Humanidade. A UNESCO, reunida em Sevilha, Espanha, na 33 Sessão do Comité do Património Mundial, decidiu a sua inclusão na lista de Património da Humanidade, respondendo positivamente aos apelos da maioria dos países presentes e ultrapassando resistências do ICOMOS, que pretendia adiar por mais um ano esta deliberação. A favor da candidatura da Cidade Velha estiveram, entre outros, Espanha, Brasil, Kenya, Nigéria, Suécia, Madagáscar, Cuba, Israel, Marrocos, Tunísia, Barbados, Barhein, Egipto, Estados Unidos, Peru, China, Austrália. Ou seja, a favor da Cidade Velha estiveram povos de todo o mundo, de diferentes continentes, com diferentes constituições políticas e diferentes religiões.
Continuar a ler